terça-feira, 23 de maio de 2017

ITABUNA: FICC ABRE INSCRIÇÕES PARA OFICINAS DE ARTE E DANÇA




As matrículas para as oficinas do Programa de Arte e Cultura em Áreas de Interesse Social (Pacais) da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC) já estão abertas. Os cursos oferecidos são os de violão, teatro, desenho e pintura, futebol, percussão, zumba, yoga, ballet, bateria, dança de rua, dança afro, muay thai E contação de histórias.
As inscrições deverão ser feitas nas Unidades das Casas das Artes, das 8hs às 12hs e das 14hs às 16hs. No ato da inscrição o aluno deverá comparecer com a carteira de identidade e comprovante de residência. Menor de idade deve ir acompanhado dos pais ou responsáveis.
Segundo a coordenadora pedagógica do Pacais, Denise Tavares, são 23 modalidades de cursos distribuídos em 39 oficinas. O projeto contempla crianças, jovens e adultos de vários bairros de Itabuna. Mais informações através do telefone (73) 3613-4915.

segunda-feira, 22 de maio de 2017

COM OBRA ACELERADA, BARRAGEM DO COLÔNIA DEVE SER ENTREGUE EM JUNHO




De acordo com o Governo da Bahia.
As obras da Barragem do Rio Colônia, em Itapé, estão com 93,77% dos trabalhos concluídos e entram na reta final. A fase atual é de concretagem do vertedouro das águas e o próximo passo é a parte hidromecânica, que é a execução das comportas. A previsão de conclusão de toda estrutura da obra foi adiantada e, agora, deverá ser entregue não mais em outubro, mas em junho, de acordo com o Governo da Bahia.
A Barragem do Rio Colônia, que vai garantir o abastecimento de água em Itabuna, é construída pelo Governo da Bahia, com investimentos total de R$ 108 milhões. A barragem terá um reservatório de 63 milhões de metros cúbicos, com uma área alagada de 1.322 hectares. A altura é de 21,4 metros, com volume de 35 mil metros cúbicos de concreto, formando um espelho d’água de 25 quilômetros quadrados.
Segundo o governo baiano, após a conclusão da infraestrutura, está prevista a construção de adutoras, que levarão a água para distribuição em Itabuna. Além de garantir o abastecimento da população, contribuirá para a atração de novas empresas.

ITABUNA: Deputado itabunense Davidson Magalhães recebeu R$ 600 mil da JBS



O deputado federal Davidson Magalhães (PC do B), recebeu propina da JBS. O comunista embolsou R$ 600 mil reais que foram usados na campanha eleitoral, em 2014. Segundo o portal Transparência Política, da Fundação Getúlio Vargas, 11 deputados baianos caíram nas garras da propina do grupo JBS. 

O dono da empresa, Joesley Batista, entregou dinheiro vivo para diversos partidos políticos na Bahia. Além de Davidson, a outra comunista, a deputada federal Alice Portugal, foi beneficiada com R$ 400 mil reais de propina. A delação premiada de Joesley Batista pode derrubar diversos políticos e, posteriormente, levá-los à prisão. 

Embasa reabre inscrições de concurso para 600 vagas e altera data da prova


A Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) publicou, na edição deste sábado, 20 de maio, do Diário Oficial do Estado da Bahia (DOE), edital de retificação que exclui a prova de aptidão física para os candidatos às vagas de agente operacional e operador de processos de água e de esgoto do concurso público aberto pela empresa em março. 

Com a mudança nas regras, as inscrições para todas as vagas previstas no concurso serão reabertas a partir das 0h do dia 22/05/2017 até as 23h59min do dia 12/06/2017. A nova data das provas foi definida para o dia 9 de julho e serão realizadas nas cidades de Salvador, Barreiras, Feira de Santana e Vitória da Conquista.

As decisões foram tomadas após análise conjunta da empresa, do Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC), organizador do concurso, do Ministério Público do Trabalho e da Procuradoria Regional do Trabalho da 5ª região Salvador. 

De acordo com a gerente de administração de carreira e desempenho da Embasa, Nivalda Beuclair, os candidatos inscritos anteriormente no concurso, conforme lista publicada no site do IBFC no dia 18/04/2017, permanecem com suas inscrições ativas, não sendo necessária nenhuma providência adicional em virtude das alterações.

O concurso público da Embasa visa ao preenchimento de 600 vagas para 11 funções dos níveis médio, técnico e superior. As vagas contemplam unidades da empresa em Salvador, região metropolitana e Interior. Os salários admissionais variam de R$ 1.122,84 a R$ 6.793,31. As inscrições para o concurso deverão ser realizadas pela internet, no endereço eletrônico.

As vagas de nível superior são oferecidas aos profissionais com formação em ciências contábeis; análise de sistemas, processamento de dados, ciência da computação, engenharia de computação ou sistemas de informação; engenharia civil ou engenharia de produção civil; engenharia sanitária ou engenharia sanitária e ambiental; e engenharia elétrica.

As vagas de nível médio-técnico são destinadas para técnicos em edificações e técnicos em eletromecânica. Já para o nível médio, há vagas para agente administrativo, agente operacional, assistente de laboratório e operador de processos de água e de esgoto.

O valor de inscrição é de R$ 60,00 para as funções de nível médio, R$ 80,00 para as funções de nível técnico e R$ 120,00 para as funções de nível superior.

“Os candidatos que vierem a ser admitidos farão jus à remuneração, às vantagens e aos benefícios que estiverem vigorando a época das respectivas admissões, nos termos da legislação pertinente e do acordo coletivo de trabalho vigente”, explica a gerente da Unidade de Gestão de Pessoas da Embasa, Cássia Fortuna.

O prazo de validade do Concurso será de seis meses, contados a partir da data da homologação do resultado final, podendo, a critério da Embasa, ser prorrogado uma vez por igual período, por conveniência administrativa da empresa. Correio

ITABUNA: Escola é arrombada no Califórnia



A Polícia Militar foi acionada na manhã do sábado (20) por um representante da escola Presidente Médici, situada na rua Santa Rita, bairro Califórnia, em Itabuna. O colégio foi arrombado durante a madrugada. A diretora foi orientada a prestar queixa na delegacia. Não foi divulgado quais materiais foram levados do local. 

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Itabuna faz mobilização no Dia Nacional Contra o Abuso Sexual de Crianças e Jovens




O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes (18) foi celebrado em Itabuna com uma grande caminhada na Avenida Cinquentenário, que mobilizou centenas de pessoas, com muitos manifestantes portando faixas e cartazes.  O evento coordenado pela Secretaria de Assistência Social contou com a participação de diversas entidades da sociedade civil organizada, lideradas por uma animada charanga e culminou com a encenação de uma peça teatral na Praça José Bastos, escrita por Fernando Caldas e dirigida por Marquinhos No.
A secretária de Assistência Social, Sandra Neilma, conta que a mobilização superou as expectativas mais otimistas, com a adesão de diversas instituições e pessoas da comunidade. E salienta que a mobilização foi realizada num prazo muito curto, até porque a SAS tem um amplo calendário de eventos na sua rotina, o que inclui este mês os festejos do Dia das Mães e outras atividades a exemplo do recadastramento do Bolsa Família.
Também participaram da caminhada estudantes inscritos no AABB Comunidade, um programa realizado numa parceria entre a prefeitura, Banco do Brasil, AABB e a Fundação Banco do Brasil, que oferece vagas para 100 crianças de até 17 anos, além dos dirigentes e integrantes da Associação Grapiúna do Paraplégico, que aderiu à campanha que tem um cunho nacional e em Itabuna é coordenada pela SAS.
Os participantes desfilaram divididos em diversas alas com cartazes dizendo não à violência e ao abuso sexual contra crianças e adolescentes. Um carro de som decorado com bolas pretas e amarelas, além de cartazes alusivos à data, convocava a população em defesa da luta contra o abuso e exploração sexual de jovens, o que pode ser feito pelos telefones Disque 100 e pelo telefone 073 3215 6030.
 
Disque 100
No Brasil, o Disque 100 e o aplicativo Proteja Brasil são os principais meios de denúncia dos crimes envolvendo crianças e jovens. As ligações no Disque 100 são gratuitas, e as denúncias são anônimas. O atendimento é 24h e ocorre inclusive nos domingos e feriados.
Já o aplicativo Proteja Brasil está disponível para download nos celulares das plataformas Android e iOS. Com apenas alguns cliques, o usuário consegue apresentar sua queixa à Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos de maneira fácil, rápida, anônima e segura.
Em 2015 e 2016, 37 mil casos de denúncias de violência sexual na faixa etária de 0 a 18 anos foram recebidos pelo Disque 100. Apenas em 2016 foram registrados 17,5 mil casos. A maior parte das denúncias é referente aos crimes de abuso sexual (72%) e exploração sexual (20%). As demais ligações estavam relacionadas a outras violações como pornografia infantil, sexting, grooming, exploração sexual no turismo, estupro.

Punição
Cabe lembrar que o presidente Michel Temer sancionou  a Lei nº 13.440 /2017, que estipula pena obrigatória de perda de bens e valores em razão da prática dos crimes tipificados como prostituição ou exploração sexual; e a Lei nº 13.441/2017, que prevê a infiltração de agentes de polícia na internet com o fim de investigar crimes contra a dignidade sexual de crianças e adolescentes. O presidente também sancionou a Lei nº 13.431/2017, que estabelece a escuta especializada e o depoimento especial para crianças e adolescentes vítimas ou testemunhas de violência.

Perfil das vítimas
Cerca de 67,7% das crianças e jovens que sofrem abuso e exploração sexuais no país são meninas. Os meninos representam 16,52% das vítimas. Os casos em que o sexo da criança não foi informado totalizaram 15,79%.
Os dados sobre faixa etária mostram que 40% dos casos eram referentes a crianças de 0 a 11 anos. As faixas etárias de 12 a 14 anos e de 15 a 17 anos correspondem, respectivamente, 30,3% e 20,09% das denúncias. Já o perfil do agressor aponta homens (62,5%) e adultos de 18 a 40 anos (42%) como principais autores dos casos denunciados.

O que muda no Novo Mais Educação 2017?



A partir deste ano, atividades devem focar a melhoria da aprendizagem de Matemática e Língua Portuguesa



programa Mais Educação, criado em 2007 para fomentar a Educação integral com atividades no contraturno escolar, entra em uma nova fase este ano. Segundo o Ministério da Educação (MEC), as escolas participantes de 2008 a 2011 apresentaram redução no desempenho em Matemática e nenhuma melhoria em Língua Portuguesa, tanto nos anos iniciais quanto finais do Ensino Fundamental na Prova Brasil. Por isso, o Novo Mais Educação tem foco na melhoria da aprendizagem nessas disciplinas, cobradas pela Prova Brasil, e prioriza inscrições de instituições com baixo desempenho no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Confira, abaixo, quais são as principais alterações.
MAIS EDUCAÇÃO (2007-2016)
NOVO MAIS EDUCAÇÃO (a partir de 2017)
Objetivo:Objetivo:
Contribuir para a melhoria da aprendizagem por meio da oferta de tempo integral, com jornada igual ou superior a sete horas diárias ou 35 horas semanais no contraturno.Melhorar a aprendizagem em Língua Portuguesa e Matemática por meio da ampliação da jornada com carga horária de cinco ou 15 horas semanais no turno e contraturno.
Como funcionava:Como vai funcionar:
A escola deveria contemplar, obrigatoriamente, pelo menos uma atividade de acompanhamento pedagógico (focada em qualquer disciplina) com duração de seis horas semanais e outras três atividades nas áreas de Educação ambiental, esporte e lazer, direitos humanos, cultura e artes, cultura digital, saúde, comunicação, investigação no campo das Ciências da Natureza e Educação econômica.Há duas opções de carga horária: cinco ou 15 horas. As escolas que optarem pelo primeiro modelo deverão realizar duas atividades de acompanhamento pedagógico (uma de Língua Portuguesa e outra de Matemática), dividindo o tempo igualmente entre elas. Já as que optarem pelas 15 horas, terão de contemplar as duas disciplinas com quatro horas dedicadas a cada uma e oferecer outras três atividades, divididas nas sete horas restantes. Essas últimas devem ser de livre escolha da escola nos campos das artes, cultura, esporte e lazer e estar inseridas no Sistema Dinheiro Direto na Escola (PDDE) Interativo.
Adesão:Adesão:
As próprias escolas tinham que preencher o Plano de Atendimento, por meio do PDDE Interativo, já com a indicação das atividades a serem desenvolvidas.As secretarias municipais e estaduais de Educação devem indicar as escolas para participar do programa pelo módulo PAR do Sistema Integrado de Monitoramento Execução e Controle (Simec). A da carga horária pode ser indicada pela secretaria ou definida pelas escolas no PDDE Interativo.
Recursos:Recursos:
Podiam ser empregados em despesas de transporte e alimentação dos responsáveis pelas atividades, para a aquisição de material de consumo e na contratação de serviços. Os valores eram calculados de acordo com o número de turmas e estudantes para o período de seis meses, tendo como referencial os seguintes indicadores:
- 160 reais por mês, por turma de acompanhamento pedagógico monitorada, para escolas urbanas e 240 reais para as rurais;
- 80 reais por mês, por turma das demais atividades monitoradas, para escolas urbanas e 120 reais para as rurais.
- 10 reais por estudante informado no Plano de Atendimento da Escola.
Podem ser empregados nos mesmos itens que o modelo anterior (veja à esquerda). No entanto, os recursos são correspondentes ao período de oito meses e têm como referencial:
- 150 reais por mês, por turma de acompanhamento pedagógico, para escolas urbanas que implementarem carga horária complementar de 15 horas, 80 reais para as que aderirem à carga horária complementar de cinco horas e 80 reais para as atividades de livre escolha;
- 15 reais por estudante informado no Plano de Atendimento da Escola, para escolas urbanas e rurais que implementarem carga horária complementar de 15 horas e 5 reais para as que implementarem cinco horas; 
- Para as escolas rurais, o valor por turma será 50% maior do que o definido para as urbanas.
Critérios de participação:Critérios de participação:
Para as escolas urbanas, os critérios eram já terem sido contempladas pelo programa Mais Educação e PDE Escolar, ter nota inferior a 4,6 nos anos iniciais do Ensino Fundamental e 3,9 nos finais no Ideb ou 50% ou mais dos estudantes inseridos no Bolsa Família. As rurais precisariam estar localizadas em municípios com pelo menos 15% da população analfabeta, 25% em situação de pobreza ou 30% morando no campo. Também poderiam ser contempladas as instituições localizadas em assentamentos de 100 ou mais famílias, áreas quilombolas ou indígenas.Prioriza escolas que já receberam recursos na conta PDDE Educação Integral entre 2014 e 2016, com baixo nível socioeconômico e baixo desempenho no Ideb.
Quem aplicava as atividades:Quem aplica as atividades:
Monitores que eram preferencialmente estudantes universitários com formação específica nas áreas contempladas ou pessoas da comunidade com habilidades apropriadas (como mestre de capoeira e contador de histórias, por exemplo). Estudantes do Ensino Médio ou da Educação de Jovens e Adultos (EJA) também podiam desempenhar a função de acordo com suas competências, saberes e habilidades. As atividades não eram remuneradas, sendo ressarcidas apenas as despesas com transporte e alimentação dos voluntários. Não era recomendada a atuação de professores da própria escola, quando isso significasse ressarcimento com recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).O trabalho é realizado pelo articulador da escola, o mediador de aprendizagem e o facilitador. Todos são voluntários. O primeiro é responsável pela coordenação e organização das atividades, devendo ser professor, coordenador pedagógico ou possuir cargo equivalente com carga horária mínima de 20 horas, em efetivo exercício, de preferência na própria instituição. O mediador é quem realiza as atividades de acompanhamento pedagógico e atua articulado com os professores da escola. Já o facilitador realiza as outras atividades.
De acordo com Guillermina Garcia, pesquisadora do Núcleo de Educação Integral do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec), ainda é muito cedo para avaliar o impacto das mudanças já programa ainda não está em funcionamento e a nova versão do caderno de orientações mais detalhado não foi disponibilizada. “Mas, comparando os materiais disponíveis do antigo e novo Mais Educação, as mudanças aparecem muito mais como um reforço. Isso pode ser uma boa medida e necessária, mas se distancia do que se entende por Educação Integral, que é colaborar para a formação integral do aluno”, analisa a pesquisadora. 

A pesquisadora aponta também que apesar do antigo Mais Educação contar com uma atividade de acompanhamento pedagógico, oferecia nove outros macrocampos de livre escolha da escola (conheça as atividades no quadro acima em “Como funcionava”). No novo formato, apenas a opção de 15 horas de carga horária oferece essas além do reforço, se limitando à três áreas: artes, cultura, esporte e lazer. “O leque de atividades oferecido pela primeira versão incentivava a ampliação da aprendizagem e experimentação. O Novo se restringe a áreas mais tradicionais da Educação, o que delimita possíveis caminhos da comunidade escolar em se desenvolver em novos temas”, diz Guillermina.

Para as escolas participantes, o MEC oferece instruções e sugestões pelo e-mail novomaiseducacao@mec.gov.br, pelo Fale Conosco do site do MEC ou pelo telefone 0800 616161. Acesse, também, o texto completo da resolução nº 5 de 25 de outubro de 2016.